quinta-feira, 7 de junho de 2007

Vaca, muito prazer


Sou uma vaca bizarra. Só assim mesmo para não pensar em auto-estima numa hora dessas e postar musiquinha de amor. Dane-se, tô frágil, o blog é vávula de escape e aí vai:


Quase um segundo

Eu queria ver no escuro do mundo
Onde está tudo o que você quer
Pra me transformar
No que te agrada
No que me faça ver
Quais são as cores e as coisas
Pra te prender?
Eu tive um sonho ruim
e acordei chorando
Por isso eu te liguei
Será que você
Ainda pensa em mim?
Será que você ainda pensa?
Às vezes te odeio
Por quase um segundo
Depois te amo mais
Teus pêlos, teu gosto, teu rosto, tudo
Que não me deixa em paz
Quais são as cores e as coisas
Pra te prender?
Eu tive um sonho ruim
e acordei chorando
Por isso eu te liguei
Será que você
ainda pensa em mim?
Será que você ainda pensa?

2 comentários:

Cristiana Soares disse...

Hahahahah!! "Tô frágil" é ótimo!

GAramba disse...

Puxa, que bonito tudo isso. Forte, profundo, exposto. Como toda paixão. Grande Tio Juarez, que me ensinou cedo: "Morda os pulsos... faça qualquer coisa... mas não se apaixone nunca... porque um homem apaixonado é um homem sem defesas".

É... mas não adiantou nada. A retranca foi furada.