terça-feira, 7 de agosto de 2007

E se fosse a sua filha?

Dia desses, uma amiga me ligou enfurecida, reclamando que estava sendo tratada como "comidinha" do moço lá com quem sai. A história deles havia começado num bar. Ele olhou pra ela, foi atrás, pediu o telefone. Ela até pensou em dar o número errado, mas foi só um pensamento, quem sabe intuição. Ele ligou, passaram a sair. Da apatia inicial, minha amiga entrou em um estado de enternecimento, encantamento, quase paixão. O moço é bom no que faz.
Não precisou muito para ela reparar que ele não a levava para sair com os amigos dele (olha que ela é bonitona). Começou a furar programinhas básicos, tipo cinema, passeio, e não queria muito contato com a família dela. Só não furava os dias de lesco.
Um amigo dela disse que o moço voluptuoso nunca havia prometido nada, muito pelo contrário, tinha sido claro ao escrever em e-mail sobre uma história de "meu mundo, seu mundo", "gosto de parte sua, mas outra ainda não consigo digerir", coisas assim. Isso quando tentava ser racional. Na paixão, mandava fotinhas, torpedos amorosos, seduzia o tempo todo - apesar da "outra parte" dela, da qual não queria nem chegar perto, como se ela pudesse arrancar pedaços invisíveis de si, libras das suas vivências, sem deixar de ser quem é.
Minha pergunta para homens assim é: e se fosse com sua filha, sua mãe, sua irmã?
Como será que esses tipos iriam se referir a um sujeito que ignora a sutileza dos sonhos dos outros? O mundo é só dividido entre os espertos e os manés? A mulher - ou o homem - que se envolve com indicações de romantismo é apenas otária(o)? O sonhador é um idiota?
Ando meio cansada desse egoísmo emocional.

13 comentários:

clamazonas disse...

somos duas cansadas do egoismo emocional. nao aprendo e nao vou aprender nunca simplesmente pq nao quero aprender, nao quero mudar. nunca me arrependo da "amplitude" emocional, apesar d ser por vezes sofrida. egoismo nunca!
bjks

Anônimo disse...

concordo..
egoismo emocional não dá..
por mais sofridas não vamos deixar de compatir com o outro, porque isso faz bem, nos torna melhores!

isso, que aconteceu com a sua amiga, várias vezes ocorreu comigo..
portanto, temos que tentar avaliar melhor com quem nos envolvemos..

Carolina Nunes
carolbrasil8@gmail.com

Ana Silvia Mineiro disse...

Carol, é difícil avaliar as pessoas. Às vezes, somos enganados mesmos, mas às vezes nos deixamos enganar por causa dos sentimentos que temos. Por isso deveria haver transparência sempre. Não é legal explorar o sentimento que outra pessoa tem pela gente.

Tiana disse...

Egoísmo emocional. A expressão diz muito. E é bem comum, pessoas que buscam o que lhes interessa no outro, dando o mínimo em troca, somente o necessário (bilhetes, torpedos e etc) para conseguir o que se quer (sexo). Mas se isso for conversado, trasparente, não vejo nenhum problema. Se há clareza sobre o que cada um quer, o outro topa se quiser também... Ninguém é obrigado a permanecer numa relação. E ser comidinha não é necessariamente ruim, se encarar o outro da mesma forma... O envolvimento e a entrega total são para poucos, e fortes, mais fortes dos que os que racionalizam ao extremo e vêem em seu jogo e inetersses sua fortaleza. Gostei muito do post, mas não acho que sua amiga seja vítima. Ela já entendeu o que o cara quer, continua ou não se quiser.

Ana Silvia Mineiro disse...

Ela entendeu, Tiana, e está sofrendo. O investimento com esse era no romantismo. Para ser só comidinha talvez ela prefira outro. Vai entender essa química do amor.
Aliás, nem acho que o desejo puramente esteja afastado de algum tipo de amor. Mas isso será tema de outro post.
Beijos e estou adorando as opiniões das moças.

Ge Detogne disse...

Nelson? Rodrigues? rsss

Ana Silvia Mineiro disse...

Sim, claro.
O Nelson Rodrigues, em A mulher Sem Pecado: "Conhecer o amor, mesmo do próprio marido, é uma maldição."
Ou o Nelson Ned, em Tudo Passará:
"Eu te dei meu amor
Por um dia
E depois sem querer te perdi
Não pensei que o amor existia
E também choraria por ti"

Cristiana Soares disse...

Essa história é digna de ser publicada no site "Homem é tudo palhaço".

Ana Silvia Mineiro disse...

HAHAHHAHAHA
Ela mandou pra lá, é sério, Cris.
Mas não sei se publicaram. É vc ou a Rô que conhecem alguma das mulhas de lá?

clamazonas disse...

isso aki tah bombando!!!!! to gostando d ver!!!
bjks

Anônimo disse...

Ele gosta da parte da comidinha. Sua amiga também deve ser boa no que faz.
Parece que há diferenças que o rapaz não consegue lidar. Franqueza é bom, prefiro assim, mas não come ninguém. O mané é totalmente franco, o cerol não. Ele dissimula, mente, seduz e... ao fim recua.
Pessoalmente, prefiro ser mané. A mentira polui o mundo em todas as suas instâncias.

Ana Silvia Mineiro disse...

Não entendi, caro anônimo:
"Franqueza é bom, mas não come ninguém."
O mané é franco.
Você prefere ser mané.
Logo, você não come ninguém?Desculpe-me pelos silogismos, mas eu só quero entender sua lógica.
Na boa, agora, acho que o mundo não é dividido só entre manés e ceróis. Há outros tipos e sempre dá para ser franco e dizer: topa só sexo? Há pessoas que topam. Transar é sempre muito bom. E há mulheres que também não querem se envolver, mas querem gozar muito.

Cristiana Soares disse...

Hahahahahahaha!!!
Esse anônimo tb me confundiu!