terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Um dia Antônio Maria total

"Às vezes, me sinto muito só. Sem ontem e sem amanhã. Não adianta que haja pessoas em volta de mim. Mesmo as mais queridas. Só se está só ou acompanhado, dentro de si mesmo. Estou muito só hoje. Duas ou três lembranças que me fizeram companhia, desde segunda-feira, eu já gastei. Não creio que, amanhã, aconteça alguma coisa de melhor."

4 comentários:

caminho do cfaminhante se faz caminhando !!! disse...

SILVINHA, QUE ESTÁ ACONTECENDO. fICA TRISTE NÃO. aNTÔNIO mARIA MORREU DE AMOR..UM DOS POUCOS, DIGA-SE.
BEIJO, AMOR

Ana Silvia Mineiro disse...

Morreu do coração. Caiu aí em Copa, pertinho de você. Infarto do miocárdio. Era cardiopata. Somos todos cardiopatas, acho.

caminho do caminhante se faz caminhando !!! disse...

Silvinha , ele definhou depois que se separou da Danuza Leão, que o trocou pelo seu ex-marido Samuel Wainer.
O infarte foi apenas o caminho.
beijinho

Ana Silvia Mineiro disse...

A tristeza deve ter acelerado a passagem dele dessa para a melhor, mas que era um cardiopata, era. Além disso, mesmo com ela, vivia num inferno. Chegou a parar de beber, mas era atormentado. Segue trecho do livro da Danuza:

"As 24 horas do meu dia eram controladas; eu não podia dizer que gostava de uma música porque ela fazia parte de um passado do qual eu não tinha o direito de me lembrar. (...) Estávamos no quarto assistindo ao noticiário quando levantei para ir ao banheiro. Passei pela frente da tevê em trajes íntimos, à vontade, e ele fez uma cena, como se eu estivesse me exibindo para o locutor do programa. Outra vez, estávamos abraçados, em pé, na sala, onde havia um espelho, mas ele viu a mim, de costas, abraçando um homem. A visão foi tão insuportável que ele me empurrou para longe. Eu estava abraçando um homem, e não importava se esse homem era ele. Comecei a sentir medo".